quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Feliz aniversário, Antítudo

Cinco anos

Há cinco anos, eu dei início a este blog. À época, o purismo linguístico me levava a escrever "blogue", pois me parecia absurdo aceitar qualquer espécie de palavra estrangeira em nossos discursos sem, ao menos, verificar se há algum correspondente em português ou a possibilidade de aportuguesá-la. Bem, importa comemorar os cinco anos. Na verdade, não são cinco anos da primeira postagem, como se pode imaginar, mas cinco anos da criação efetiva do blog.

Foi em 20 de agosto de 2007, embora eu já cogitasse há algum tempo a ideia, pelo menos desde que um professor nosso, no curso de jornalismo, apresentou uma série de argumentos bastante sólidos para a manutenção de um blog. Primeiro, aperfeiçoa-se o texto com a prática regular da escrita (o que é útil para um iniciante na profissão ou para qualquer um que pretenda melhorar sua comunicação, em especial a escrita); segundo, pode-se trocar informações com outros blogueiros e com leitores; e terceiro, um blog podia ser útil até como enriquecimento do currículo. Todavia, blog, hoje, não é mais o que era naquela época.

Blogs eram como diários pessoais abertos ao público, embora algumas pessoas já começassem a explorá-los de outros modos, afinal, eles são mais baratos e simples de se montar do que um site, e servem melhor à publicação de informações que não teriam espaço nos meios tradicionais de informação, pois o blog também é cercado por uma aura "marginal", se assim se pode dizer. Assim, o espaço é válido para o jornalismo, para a livre opinião e para a divulgação de ideias. Mais recentemente, até empresas têm se valido desse formato digital para expor produtos e eventos.

Por vezes, os blogs são destinados a um evento bastante específico (cobertura de uma catástrofe, divulgação de um evento, diário de viagem ou qualquer coisa que tenha prazo de validade) e a blogosfera, que era uma espécie de comunidade de intimidades, rapidamente tornou-se qualquer coisa como uma fonte universal de informações, a qual se atribui, em certos casos, uma espécie de superpoder.

Cinco anos, é incrível perceber como pôde mudar tanto. Bem, fica aqui uma celebração, ainda que tardia, a esse meu companheiro, embora eu nem tão assiduamente o visite, o alimente ou o valorize. Mas que é parte de minha vivência.

Agradeço a todos os que o lêem.
E convido os que tiverem vontade de passar por aqui.

Sidney Azevedo
Feliz aniversário, Antítudo.
(Inda inté!)

PS: Publicado tardiamente, por puro esquecimento...